Artigos

Quais documentos preciso para dar entrada no divórcio?

Quais documentos preciso para dar entrada no divórcio?

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

O divórcio é um procedimento em que as pessoas casadas no cartório queiram romper este vínculo, ou seja, querem pôr fim ao casamento.

No caso das pessoas que estão em união estável, o nome correto para a separação não é divórcio, mas sim a dissolução de união estável. O procedimento pode ser até mais simples que o de divórcio, dependendo do caso.

Agora, para se divorciar (quando é casado), você precisa escolher um advogado e reunir os documentos necessários para o processo.

Nos casos amigáveis, quando já existe acordo entre o casal, o mais indicado é fazer o divórcio extrajudicial, em que é menos complexo porque é feito no cartório

Porém, se não tiver acordo, é preciso levar o processo para a Justiça. Assim, o processo de divórcio será decidido por um juiz. Em alguns casos, quando se discute questões como guarda, pensão, divisão de bens, etc., poderá levar meses ou anos.

O que é divórcio consensual e litigioso?

No divórcio litigioso, o ex-casal não concorda com todos os termos do divórcio, seja em relação à divisão de bens, pensão, guarda dos filhos ou por outros motivos.

É por isso que se torna um processo mais lento, em que serão feitas audiências e haverá uma decisão do juiz. Assim, além de ser mais caro, é muito desgastante para as partes.

Agora, no divórcio consensual, as partes concordam com o divórcio e as demais questões que envolvem essa separação. Por isso, é comum que seja mais rápido e com menos custos.

Quais são as formas para fazer o divórcio?

Você pode fazer o divórcio judicial ou extrajudicial, ou seja, na Justiça ou no cartório.

Mas, apenas o divórcio consensual pode ser feito dessas duas maneiras, mesmo se tiver filhos. Porém, o divórcio litigioso só pode ser feito na Justiça.

Lembrando que o divórcio será feito no cartório apenas se ambas as partes concordarem em relação aos termos da separação.

Se não tiver acordo, é preciso entrar com ação na Justiça para que o juiz decida sobre o divórcio e os demais termos da separação: em relação à divisão de bens, pensão, guarda dos filhos ou por outros motivos.

Quais documentos preciso para fazer o divórcio?

Além dos documentos feitos pelo advogado, é preciso apresentar os seguintes documentos e informações:

  • certidão de casamento;
  • documento de identidade, CPF e informação sobre profissão e endereço do ex-casal;
  • Comprovante de renda (contracheque ou carteira de trabalho)
  • escritura de pacto antenupcial (se houver);
  • número do processo judicial de homologação sobre a guarda dos filhos (se houver);
  • documento de identidade, CPF e informação sobre profissão e endereço dos filhos maiores (se houver) e certidão de casamento (se casados);
  • comprovação da titularidade dos bens (se houver), por exemplo:

– Imóveis urbanos: via original da certidão negativa de ônus emitida pelo Cartório de Registro de Imóveis – atualizada há no máximo 30 dias, carnê de IPTU, certidão de tributos municipais, declaração de quitação de débitos do condomínio

– Imóveis rurais: via original certidão negativa de ônus expedida pelo Cartório de Registro de Imóveis – atualizada há no máximo 30 dias, declaração de ITR dos últimos 5 anos ou Certidão Negativa de Débitos de Imóvel Rural emitida pela Secretaria da Receita Federal, Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR) emitido pelo INCRA

– Bens móveis: documento de veículos, extratos bancários e de ações, contratos sociais de empresas, notas fiscais de bens e joias, etc.

  • descrição da partilha dos bens (se houver);
  • definição sobre a alteração do nome de solteiro(a) ou da manutenção do nome de casado(a);
  • definição sobre o pagamento, ou não, de pensão alimentícia para o ex-cônjuge;
  • se tiverem filhos menores de idade: número da agência e conta bancária para depósito da pensão alimentícia;
  • lista com nome completo e endereço de 3 testemunhas.

Para o(a) advogado(a):

  • carteira da OAB, informação sobre estado civil e endereço do(a) advogado(a);
  • procuração particular das partes para o(a) advogado(a)

Atenção! Se tiver divisão de bens, é preciso levar os documentos e a comprovação do pagamento dos impostos.

Em caso de transferência de bens de um cônjuge para outro, se houver pagamento do valor excedente, haverá o imposto municipal (ITBI).

Agora, se houver a transferência de forma gratuita de um cônjuge para outro, terá o imposto estadual (ITCMD), pois se trata de uma doação.

Preciso de advogado para o divórcio?

No divórcio extrajudicial, o advogado precisa auxiliar o casal para fazer o contrato de separação, chamado de escritura de divórcio.

Nesse contrato terá as informações sobre os bens, filhos, eventuais pensões para o ex-cônjuge e a alteração ou não do nome de casado.

Portanto, o advogado vai orientar e depois fazer o contrato em que diz as informações sobre a divisão dos bens e sobre a guarda dos filhos (se forem maiores de idade).

Em alguns casos, se uma das partes depender financeiramente da outra, pode ser estipulada uma pensão que o ex-cônjuge deve pagar ao outro.

Além disso, o advogado será responsável por auxiliar na divisão dos bens no cartório e informar os custos com impostos para realizar a transferência.

Mesmo que não haja nenhuma dessas condições, o papel do advogado é essencial para que o casal faça os termos do acordo de término do casamento.

Ou seja, ainda que o casal não tenha patrimônio e filhos, isso precisa constar em um documento e, com isso, fazer o registro no cartório.

Assim, além de ser obrigatório, o advogado é essencial para que o ex-casal faça os procedimentos de maneira correta para evitar maiores problemas no futuro.

▶️ Acompanhe nossas redes sociais: Facebook | Instagram | TikTok

Artigos relacionados

WhatsApp chat